Radar da Pneumologia

Gasto com cigarro é quase igual ao valor investido em arroz e feijão

outubro 31, 2016 • Por

dreamstime_cigarros_01-11-16

 

Dados da Vigitel de 2014 mostram que, enquanto 1,12% do orçamento das famílias brasileiras é gasto com alimentação básica, cerca de 1,08% é destinado ao cigarro.

A Lei Antifumo, a proibição de propagandas, o aumento de impostos e as campanhas de conscientização fizeram com que o número de fumantes no Brasil caísse em 30,7% nos últimos noves anos. No entanto, o cigarro ainda consome mais de 1% do orçamento mensal familiar, quase a mesma quantia aplicada no prato mais tradicional do país: arroz com feijão.

A fatia do orçamento mensal das famílias destinada ao fumo praticamente equivale a tudo que se gasta no mês com manicure, cinema e médico juntos (1,1% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA). Outra curiosidade é que o gasto dos consumidores com cigarro é 13,5 vezes maior em relação ao montante investido no tradicional cafezinho.

Apesar de alarmante, esse índice já foi pior. Há 20 anos, o consumidor destinava 1,4% do orçamento para o cigarro. O aumento dos impostos foi um fator determinante para a redução do tabagismo. O produto ficou 448,17% mais caro e algumas famílias decidiram cortar essa despesa ou diminuir a quantidade de maços mensais.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) mostram que as mortes por câncer de pulmão entre os homens caíram pela primeira vez em onze anos, saindo de 18,5 a cada 100 mil, em 2005, para 16,3 por 100 mil em 2014. No entanto, entre as mulheres, o hábito de fumar tem crescido. Em São Paulo, elas já representam 13% dos fumantes.

Fonte: O Regional.