Eventos

SBPT e SPPT dão início aos congressos em Campos do Jordão (SP) com cursos e expositores

agosto 12, 2015 • Por
pneumoblog

Créditos: Rodrigo Augusto

A cidade de Campos do Jordão (SP) amanheceu mais animada com o início das atividades dos Congressos Brasileiros de Asma, DPOC e Tabagismo e do Congresso Paulista de Pneumologia e Tisiologia, que vão até o dia 15 de agosto no Centro de Convenções João Doria.

O primeiro dia foi exclusivamente dedicado aos cursos pré-congresso, que abordaram circulação pulmonar, doenças intersticiais, endoscopia respiratória, função pulmonar, infecções respiratórias, além de sono e imagem, temas que tiveram vagas esgotadas, registrando 50 e 300 inscritos, respectivamente.

Dentre os palestrantes do dia, estava o médico carioca Domenico Capone, que ministrou as apresentações “Micobacteriose típica”, “Micobacteriose não tuberculosa” e “Diagnóstico por imagem no tromboembolismo pulmonar”. Em sua discussão final, o especialista destacou a importância dos métodos de imagens. Para isso, exibiu uma série de peças de tomografia, raio-x e ressonância magnética.

Questionado sobre a grande procura dos participantes pelo curso de imagem, Dr. Capone afirma: “Você não dá um passo na Pneumologia se não tiver esse método, já que é ele que mostra o caminho. Nós podemos imaginar, o que eu vou fazer agora? Uma biópsia de pulmão, uma broncoscopia, vou abordar um derrame pleural? Tudo isso é norteado pelo sintoma e pela imagem, então esse recurso na pneumologia é tudo.

Outra participação de destaque foi a do professor norte-americano Talmadge King, que falou sobre “Fibrose pulmonar idiopática: patogênese e alvos terapêuticos” e participou de duas discussões sobre casos clínicos de doenças intersticiais. Na quinta-feira, o especialista fala sobre “Casos de doença pulmonar de difícil diagnóstico: pneumonia intersticial não-específica (PINE) e doença pulmonar não classificável”, e sobre o “Manejo da fibrose pulmonar idiopática: uma atualização”.

De acordo com Dr. King, o principal assunto a ser abordado na apresentação de quinta-feira sobre fibrose pulmonar idiopática é a descoberta de duas novas medicações que retardam o avanço da doença. “Atualmente, não temos uma cura, mas com esse tratamento, a progressão da doença pode ser desacelerada. Assim, o paciente poderá viver mais”, explicou. Na sexta-feira, o especialista ainda faz uma apresentação sobre Pneumonite por hipersensibilidade: particularidades no diagnóstico e patobiologia”.

Já o presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), Dr. Oliver Augusto Nascimento, comemorou os 1.500 inscritos no congresso. “A expectativa em relação à quantidade de inscrições foi maior que o esperado. Devido à crise, nós estipulamos um número um pouco mais baixo, mas ficamos muito satisfeitos que esse número tenha sido ultrapassado”.

Sobre a parceria com a SBPT para a realização dos encontros, o pneumologista avalia: “Foi uma parceria excelente. Nós conseguimos trabalhar em conjunto para a organização do melhor congresso possível. Os dois eventos cresceram muito, as sociedades se ajudaram, então acho que foi muito proveitoso”.

Além da programação científica, a conferência conta com mais de 500 expositores de diversas marcas até o último dia.