Radar da Pneumologia

Hidratação ajuda a prevenir doenças respiratórias no inverno

julho 25, 2017 • Por

No inverno, a tendência é beber menos água, por causa das alterações sofridas pelo hormônio ADH ou antidiurético. Segundo o Dr. Carlos Carvalho, do HCor, a desidratação facilita o contágio de doenças respiratórias.

Em dias frios, a circulação sanguínea se concentra nos vasos centrais para preservar o calor do corpo, o que leva à sensação de que o corpo está suficientemente hidratado. Consequentemente, o organismo leva mais tempo para se dar conta de quando precisa de líquido.

“Esse processo pode desencadear quadros de desidratação que, por sua vez, facilitam, entre outros problemas, o contágio de doenças respiratórias no frio”, afirma o pneumologista Dr. Carlos Carvalho, coordenador do Serviço de Pneumologia do Hospital do Coração (HCor).

De acordo com o especialista, a falta de líquido no inverno contribui com o ressecamento da mucosa das fossas nasais e da boca, o que pode facilitar a entrada de vírus e bactérias.

“É recomendado beber diariamente cerca de um a um litro e meio de água, entre outros hidratantes, ainda que não tenhamos tanta sede. Dessa forma, ficamos ainda mais protegidos, principalmente, contra gripes e resfriados que sempre estão entre as doenças mais comuns neste período do ano”, afirma o pneumologista.

“Vale lembrar que pessoas com problemas renais ou cardíacos devem consumir apenas o volume de líquido indicado pelos seus respectivos médicos, independentemente, da estação do ano ou da temperatura”, ressalva.

Entre os sinais de desidratação grave estão febre repentina, dor de cabeça, boca seca, prisão de ventre, irritabilidade, problemas de pele, como ressecamento, eczema e dermatite, além de urina mais escura.

“Acordar com dor de garganta também pode indicar a necessidade de reposição de líquido. Nestes casos, é importante tomar água antes de recorrer à medicação”, explica o Dr. Carvalho.

Fonte: Alagoas 24 horas.