Radar da Pneumologia

Pneumologista pode tratar pelo menos cinco das dez causas de morte mais comuns

novembro 14, 2017 • Por


De acordo com a OMS, dez condições foram responsáveis por 54% do total de 56,4 milhões de óbitos registrados 2015, entre elas está a Pneumonia e a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC).

As doenças mais mortais diretamente relacionadas à Pneumologia, segundo a OMS, são as infecções das vias aéreas inferiores, como a bronquite e a pneumonia, que causaram cerca de 3,2 milhões de óbitos em 2015.

Em seguida aparece a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), que obstrui as vias aéreas e dificulta a respiração. Há diversos tratamentos junto ao pneumologista que retardam a progressão da doença, controlam os sintomas e reduzem as complicações.

O câncer de pulmão aparece na 5ª colocação. Cerca de 28 mil pessoas são diagnosticadas com a doença todos os anos no Brasil.

Tuberculose também está na lista de risco de alta mortalidade. A doença é causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninges.


A enfermidade que mais mata no mundo entre todas, de acordo com a OMS, é a doença cardíaca isquêmica ou cardiopatia isquêmica, que causou 8,8 milhões de óbitos em 2015. Um dos fatores de risco – o tabagismo -, é tratável pela Pneumologia. Outros influenciadores são idade, diabetes, hipertensão e colesterol alto.

Outras doenças apontadas pela OMS como muito mortais caso não sejam diagnosticadas logo e tratadas adequadamente são AVC, Diabetes, Alzheimer e doenças diarreicas.

A última posição da lista é o acidente de trânsito, responsável por 1,3 milhão de mortes em 2015. É válido lembrar que o cansaço excessivo está relacionado a este índice e pode também ser tratado por um pneumologista especialista em Medicina do Sono.


Fonte: UOL.