Radar da Pneumologia

Caminhar próximo à poluição pode cancelar os benefícios do exercício

janeiro 26, 2018 • Por


Pesquisa revela que a exposição a curto prazo à poluição gerada pelo tráfego de automóveis pode anular os efeitos cardiopulmonares benéficos de caminhadas em pessoas com DPOC, doença cardíaca isquêmica e até mesmo em indivíduos livres de doenças cardiopulmonares crônicas.

A pesquisa avaliou as respostas respiratórias e cardiovasculares em caminhadas nos locais com a atmosfera poluída pelo tráfego em comparação a caminhar em áreas livres de trânsito de automóveis.

Foram recrutados homens e mulheres com 60 anos ou mais, com doença isquêmica estável, angiograficamente comprovada ou doença pulmonar obstrutiva crônica, que estavam clinicamente estáveis por 6 meses, além de voluntários saudáveis da mesma faixa etária.

Todos os participantes se abstiveram de fumar durante pelo menos 12 meses e os medicamentos controlados foram tomados conforme recomendado pelos médicos.

Os avaliados foram distribuídos aleatoriamente para caminhar por duas horas ao longo de uma rua comercial em Londres (Oxford Street) ou em um parque urbano (Hyde Park). As medidas de linha de base dos participantes foram realizadas antes dos testes. Durante cada sessão de caminhada foram testadas as quantidades de  carbono preto, partículas ultrafinas e concentrações de dióxido de nitrogênio (NO2) em cada indivíduo.

Leia aqui o artigo completo no The Lancet (em inglês).


Fonte: The Lancet.