Radar da Pneumologia

Mitos e verdades sobre a Asma

janeiro 31, 2018 • Por


Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), ao todo, estima-se que cerca de 20 milhões de pessoas sofram com a enfermidade no Brasil e mais de 300 milhões de pessoas no mundo todo. Porém, apesar da grande incidência, ainda existem mitos sobre a doença.

Caracterizado pela inflamação crônica das vias aéreas, hoje existem diversos tratamentos que podem ajudar a amenizar os sintomas da doença e melhorar a qualidade de vida. Atento à falta de informação sobre o problema, o pneumologista Oliver Nascimento, membro do Conselho Deliberativo da SBPT, médico assistente da disciplina de pneumologia da Unifesp e especialista interno da GSK elaborou uma lista com os principais mitos e verdades sobre a asma.

1 – A famosa “bombinha” de asma vicia? Mito.

Os broncodilatadores como são chamados, aliviam a falta de ar momentaneamente quando inalados. Entretanto, é muito comum os pacientes não tratarem a asma de forma contínua, fazendo com que necessitem utilizar as bombinhas com maior frequência. O ideal é sempre procurar um médico e seguir as orientações do profissional, evitando assim crises asmáticas mais graves.

2 – Asma em adultos pode estar relacionada à insônia? Verdade.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Pittsburgh, pacientes que têm problemas para dormir costumam ter mais crises de asma. Os pacientes que sofrem das duas doenças, asma e insônia, têm chances maiores de apresentarem quadros de depressão e sintomas de ansiedade.

3 – A genética do paciente pode favorecer o aparecimento de asma? Verdade.

Sim, a genética tem grande influência na asma e crianças de pais asmáticos possuem um risco maior de desenvolver a doença. Se um dos pais forem asmáticos o risco é de 25%, enquanto se os dois tiverem o problema a probabilidade sobre para 50%.

4 – O uso contínuo de medicamentos como as “bombinhas” faz mal para o coração? Mito.

No passado, quando surgiram os primeiros remédios broncodilatadores para a asma, existiam substâncias que tinham como efeito colateral a aceleração do coração. Contudo, esses efeitos foram minimizados com as novas drogas e dispositivos que existem hoje no mercado.

5 – Asma e bronquite crônica são a mesma coisa? Mito.

As duas doenças costumam ser muito confundidas por apresentarem sintomas parecidos. A diferença é que a asma se manifesta em crises reversíveis, enquanto a bronquite crônica se caracteriza pela ocorrência de tosse produtiva crônica, por mais de três meses no ano, durante pelo menos dois anos consecutivos.

6 – Atividade física faz bem para pessoas asmáticas? Verdade.

Atividade física é fundamental para um estilo de vida saudável. A natação, por exemplo, ajuda no fortalecimento da musculatura respiratória. Já beber de dois a três litros de água por dia ajuda a fluidificar as secreções e facilita na sua eliminação.

7 – Asma começa na infância e se cura na vida adulta? Mito.

A asma não tem cura, mas pode ser controlada a ponto dos seus portadores levarem uma vida normal. Procure um pneumologista.

8 – Gripes e resfriados podem piorar os sintomas da asma? Verdade.

Proteja-se das infecções virais, como gripe e resfriado comum. Eles podem desencadear sintomas da asma. Lavar as mãos com frequência e manter a carteira de vacinação em dia podem ajudar no combate a infecções mais graves. A vacina contra a gripe é indicada para todas as pessoas asmáticas, independente da idade.


Fonte: Bem Paraná