Radar da Pneumologia

Cigarro eletrônico e vaps podem causar pneumonia

Fevereiro 9, 2018 • Por


De acordo com pesquisa publicada no European Respiratory Journal, os vaporizadores contribuem para a proliferação e fixação de bactérias nas vias aéreas.

Ao analisar o efeito do vapor do cigarro eletrônico em células de camundongos e de seres humanos, cientistas da Universidade Queen Mary de Londres e da Universidade de Liverpool constataram maior suscetibilidade à infecção pulmonar por bactérias pneumocócicas.

“Em alguns casos, as bactérias pneumocócicas podem invadir as células do revestimento, causando pneumonia ou septicemia. Sabemos que a exposição à fumaça de cigarro tradicional contribui para que isso aconteça, queríamos ver se o e-cigarro poderia ou não ter o mesmo efeito”, explicou Jonathan Grigg, professor de Medicina Respiratória e Ambiental Pediátrica e principal autor do estudo.

Os pesquisadores examinaram os efeitos do vapor do cigarro eletrônico em uma molécula produzida pelas células do revestimento do nariz e observaram que a quantidade de bactérias pneumocócicas dobrava conforme havia exposição ao vaporizador, com ou sem nicotina. As bactérias utilizam essas moléculas para se manter nas células e invadir os tecidos do corpo, podendo causar doenças. A pesquisa também mostrou que os níveis dessa molécula aumentam em até três vezes quando expostas ao tabagismo, fumo passivo, poluição e fumos de soldagem.

“Algumas pessoas podem vaporizar porque acham que é mais seguro ou na tentativa de parar de fumar, mas este estudo acrescenta a evidência de que a inalação de vapor tem o potencial de causar efeitos adversos para a saúde”, observou o professor Grigg.

Confira a ficha informativa sobre o cigarro eletrônico (em inglês).


Fonte: European Lung Foundation.