Radar da Pneumologia

Dia Mundial do Sono: respeite o sono e siga seu ritmo

Março 13, 2018 • Por


Dia Mundial do Sono 2018, lembrado em 16 de março, propõe conhecer o ritmo biológico do organismo para dormir melhor, ter boa saúde e qualidade de vida. Cuidar dos distúrbios do sono previne doenças cardiovasculares, respiratórias, metabólicas, endocrinológicas e neurológicas.

A campanha do Dia Mundial do Sono vai reunir profissionais de saúde, população e comunidade científica para debater as inovações em tratamentos e recomendações para pacientes com distúrbios do sono. O tema proposto pela World Sleep Society para este ano é “respeite o sono, siga seu ritmo”, alertando para a influência do sono em nossa vida.

O ritmo circadiano se refere ao ritmo de sono e vigília nas 24 horas. Popularmente chamada de “relógio biológico”, essa sincronização modula a liberação de hormônios, o apetite, a temperatura corporal e o ciclo sono-vigília.

Um exemplo prático do ciclo circadiano influenciando a secreção de hormônios e a regulação da pressão arterial é maior risco de  acidente vascular cerebral e infarto pela manhã, entre 6h e 12h, do que em outros momentos do dia.

Observa-se a ação do ciclo circadiano também ao anoitecer, quando o hipotálamo secreta melatonina, que auxilia na transição da vigília para o sono. Neste caso, a luz pode inibir a liberação do hormônio e alterar os ciclos de sono, ainda que a luminosidade seja da televisão ou da tela de celular. Por isso é recomendado minimizar o uso de aparelhos eletrônicos e reduzir a luminosidade dos ambientes de noite, antes de dormir.

A insônia, a interrupção do sono e transtornos do ciclo circadiano estão associadas a doenças cardiovasculares (doença arterial coronariana, arritmias, hipertensão arterial), metabólicas e endocrinológicas (obesidade, alterações no crescimento), gastrointestinais (refluxo), psiquiátricas (depressão, ansiedade), neurológicas (dores, alterações cognitivas, epilepsia, déficit de atenção e AVC), além de dificuldades de memória e aprendizado e maior risco de acidentes.

Pacientes que sofrem de distúrbios respiratórios, como ronco e apneia do sono, têm maior risco cardiovascular e possível prejuízo no alerta e disposição durante o dia.

A cada 90 minutos ou 100 minutos, passamos por um ciclo de quatro etapas distintas do sono. Conheça os estágios do sono:

Estágio 1: fase do sono mais leve, caracterizada por músculos relaxados, leve queda da temperatura corporal e desaceleração das ondas cerebrais.

Estágio 2: fase mais frequente do sono.

Estágio 3: sono profundo, fundamental para o descanso e controle metabólico.

Estágio 5: REM (ou movimento rápido dos olhos). È a fase em que predomina os sonhos. Embora o cérebro esteja ativado, há relaxamento muscular.

Dicas para dormir melhor

Para completar todos os estágios do sono, se sentir realmente descansado e ter mais saúde e qualidade de vida, recomenda-se:

1 – Se você ronca,  se sente cansado ou não consegue dormir, converse com seu médico. O tratamento dos distúrbios do sono pode melhorar muito a qualidade de seu sono.

2 – Praticar atividade física. Caminhar pela manhã é um hábito saudável para aumentar a exposição à luz, fortalecer o sistema imunológico e produzir mais endorfina para aproveitar o dia totalmente desperto.

3 – Eliminar luzes durante a noite. É importante não atrapalhar o processo de produção da melatonina.

4 – Adotar uma rotina de horários regulares de sono e dormir o suficiente para sentir-se descansado: 7 a 9 horas para adultos e 7 a 8 horas para indivíduos acima de 65 anos.


Fonte: World Sleep Day; Hospital Albert Einstein; Medscape; BBC.