Radar da Pneumologia

Acesse o novo Protocolo de Tratamento de Influenza

Abril 24, 2018 • Por


A Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) disponibilizou o Protocolo de Tratamento de Influenza de 2017, atualizado junto com as sociedades médicas, pesquisadores e especialistas da área.

O novo protocolo é uma revisão da versão de 2015, com mais detalhes sobre fluxos e procedimentos de manejo clínico e tratamento para a influenza.

Clique aqui para ler o documento.

As diretrizes incluem particularidades sobre estratégias de vacinação, medidas de prevenção e controle em crianças e adultos, além de monitoramento dos dados de circulação dos vírus. Os boletins epidemiológicos semanais da Coordenação-Geral de Doenças Transmissíveis podem ser acessados aqui.  

O Protocolo de Tratamento da Influenza aborda, ainda, a conduta terapêutica nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e Síndrome Gripal (SG) suspeitos para influenza, as medidas de controle para ambientes domiciliares e instituições fechadas, prevenção da infecção hospitalar, sinais e sintomas da influenza, fatores de risco, definições de casos, manejo clínico, tratamento com o fosfato de oseltamivir e zanamivir, entre outros tópicos.

Confira um trecho do Protocolo:

Tratamento: Uso de antivirais na infecção por influenza

Os antivirais fosfato de oseltamivir (Tamiflu®) e zanamivir (Relenza®) são medicamentos inibidores de neuraminidase, que podem reduzir a duração dos sintomas e, principalmente, evitar complicações da infecção pelo vírus influenza.

Estudos observacionais que incluíram incluindo pacientes hospitalizados demonstraram maior benefício clínico quando o fosfato de oseltamivir é iniciado até 48 horas do início dos sintomas. Entretanto, alguns estudos sugerem que o fosfato de oseltamivir pode ainda ser benéfico para pacientes hospitalizados se iniciado de quatro a cinco dias após o início do quadro clínico.

Segundo as agências internacionais, os inibidores de neuraminidase são considerados as únicas drogas disponíveis aprovadas para pacientes com influenza hospitalizados.

Para mais informações, veja o protocolo completo.


Fontes: SBPT e Ministério da Saúde.