SBPT na mídia

Programa CBN Madrugada aborda a bronquiolite

junho 11, 2018 • Por


A Dra. Marina Buarque de Almeida, coordenadora do Departamento de Pneumologia Pediátrica da SBPT, explicou como acontece o contágio e a reação inflamatória dos bronquíolos, conhecida como bronquiolite, que na maioria das vezes é causada por um vírus.

A doença afeta principalmente crianças de até dois anos. Os sintomas inicialmente são parecidos com os de um resfriado comum e podem progredir para tosse, chiado no peito e, às vezes, dificuldade de respirar, quadro que pode durar entre uma semana a dez dias e em alguns casos pode ter uma evolução mais lenta e arrastada com melhora progressiva em até 4 semanas.

De acordo com a especialista, os responsáveis devem ficar atentos quando a criança tiver falta de ar, respiração rápida, respiração com chiado ou gemência.

Clique aqui para ouvir a entrevista completa.

De acordo com a pneumologista, a melhor maneira de prevenir o vírus é higienizar sempre as mãos e evitar que as crianças pequenas tenham contato com adultos ou crianças maiores resfriadas.

Aos responsáveis, médicos e enfermeiros da atenção primária, a médica recomendou contar a frequência respiratória da criança no momento em que ela estiver sem febre. Frequência respiratória acima de 60 incursões por minuto até os 2 meses de idade, ou acima de 50 incursões por minuto até 1 ano de idade é sinal de alerta. Neste caso é necessário que a criança seja avaliada por um pediatra.

O tratamento normalmente consiste em medidas de suporte, como manter a criança hidratada, garantir a alimentação com cuidado e manter o nariz desobstruído com soro fisiológico. Em situações mais graves, quando a criança tem fadiga muscular decorrente da doença, por exemplo, podem ser necessárias hospitalização e oxigenoterapia.