SBPT na mídia

O que é a tuberculose ganglionar?

julho 2, 2018 • Por


O Complexo Mycobacterium tuberculosis (ou bacilo de Koch) pode afetar os gânglios linfáticos (linfonodos), onde se concentram as células de defesa do organismo, causando a tuberculose ganglionar.

De acordo com as pneumologistas Dra. Roberta Sales, coordenadora da Comissão de Pleura da SBPT, e Dra. Marcela Costa, complementada do grupo de Infecção da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Medicina da USP, a tuberculose ganglionar é o caso mais comum de tuberculose extrapulmonar.

Em entrevista ao portal Minha Vida, as pneumologistas explicaram que o bacilo pode afetar outros órgãos além dos pulmões, como a pleura (tecido que protege os pulmões), ossos, rins e até os olhos. A matéria também tem como fonte a infectologista, Dra. Adriana Coracini.

No caso da tuberculose ganglionar, a infecção é mais comum em crianças e adolescentes. A transmissão acontece pelas vias aéreas, como na tuberculose pulmonar (geralmente pelo contato com a tosse ou o espirro da pessoa infectada). “Conviver entre quatro a seis horas com o indivíduo com tuberculose, diariamente, aumenta o risco de contaminação pelo bacilo”, explica Roberta. “Compartilhar utensílios, no entanto, não é uma causa de transmissão, como se acredita popularmente”, completam as pneumologistas.

A tuberculose ganglionar não costuma ser facilmente transmissível, como é a forma pulmonar, porque a quantidade de bacilos é menor nos gânglios. Além disso, pacientes com TB ganglionar não costumam ter sintomas respiratórios, como espirros e tosse.

Fatores de risco

Apesar da distribuição mundial das bactérias, algumas situações favorecem a disseminação da doença, como a alta densidade populacional, más condições sanitárias, pobreza, desnutrição e doenças ou condições que afetem a imunidade (como indivíduos convivendo com HIV/AIDS, indivíduos transplantados, em uso de terapia imunossupressora, portadores de silicose, em tratamento para câncer, entre outras situações). Apesar de a transmissão ocorrer pelo contato entre as pessoas, não é necessário separar copos, talheres e produtos de higiene.

Sintomas

A doença pode acometer qualquer grupo de gânglios do corpo, mas a maior parte acontece na cadeia cervical (pescoço). Os sintomas são: inchaço do gânglio (que pode estar localizado no pescoço, virilha, axila, entre outros), inflamação com vermelhidão local e dor na região afetada.

Além disso, os sintomas gerais da tuberculose incluem redução do apetite, palidez, febre baixa e vespertina (no final da tarde), emagrecimento e sudorese à noite.

Tratamento e Cuidados

O tratamento da tuberculose ganglionar é o mesmo adotado em qualquer um tipo de tuberculose. Atualmente o tratamento é composto de quatro medicações (rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol) administrado por via oral, que está disponível na rede pública de saúde e é gratuito.

Se a tuberculose ganglionar não for tratada, ela pode levar ao rompimento do gânglio, com disseminação da doença. Quando a terapia é realizada corretamente e o bacilo não apresenta resistência ao medicamento, a chance de cura é próxima de 100%.

 

Leia Mais: Minha Vida.